domingo, 6 de fevereiro de 2011

2,5€ - Capelo e Ivens

2,5€ Comemorativos a Capelo e Ivens

As expedições científicas encetadas pelos oficiais de Marinha Hermenegildo Capelo e Roberto Ivens, assim como a do oficial do Exército Serpa Pinto, resultaram de um decreto de 1877, que visava o estudo e a exploração dos territórios portugueses em África.

A travessia de Capelo e Ivens, de Luanda (Angola) a Tete (Moçambique), após a exploração do sertão de Benguela, viria a constituir a célebre viagem, conhecida pelo nome de «De Angola à Contra-costa».

Estas expedições integram-se num contexto político marcado por um forte surto expansionista europeu, nos domínios do continente africano, que antecipam a histórica Conferência de Berlim, realizada em 1885, e da qual resultou o Ultimato Britânico a Portugal.

Exploradores de todas as grandes potências europeias, lançavam-se numa verdadeira rivalidade pela prospecção de territórios, obrigando Portugal a rever urgentemente a sua política colonial e a efectivar a sua presença nestes locais.

Em 1875, Luciano Cordeiro funda a Sociedade de Geografia de Lisboa, reunindo em seu redor uma elite intelectual, civil e militar, que assume a função de despertar a opinião pública para as questões do Ultramar e que prepara as primeiras grandes viagens de exploração científica ao continente africano. Estas são realizadas pelos exploradores Serpa Pinto, Hermenegildo Capelo e Roberto Ivens, entre 1877 e 1880, recorrendo a financiamento por subscrição nacional.

Destinavam-se a efectuar o reconhecimento do Cuango e as suas relações com o Zaire, de forma a comparar a bacia hidrográfica deste rio com a do Zambeze, concluindo, assim, a carta da África centro-austral.

Apesar do seu papel fundamental na defesa da posição portuguesa em África, face ao movimento expansionista europeu, a Sociedade de Geografia de Lisboa surge tardiamente, no que se refere à criação de sociedades homólogas nos restantes países da Europa.

Promovendo pesquisas e expedições, e apoiando a divulgação dos novos conhecimentos geográficos, as Sociedades de Geografia europeias ganham notoriedade através de jornais, revistas e livros, que vão cumprindo a missão de reafirmar a autoria das descobertas dos seus exploradores. Reforça-se, assim, o seu papel na condução da opinião pública, relativamente aos assuntos diplomáticos que estavam subjacentes a esta corrida a África.

Com o regresso de Serpa Pinto a Lisboa, em 1879, depois de concretizado o importante percurso entre o Bié e o Zambeze, e atingidas as cataratas Vitória, Capelo e Ivens são estimulados a prosseguir com as suas expedições. Continuaram, então, os seus estudos hidrográficos, efectuando registos geográfico-naturais mas, também, de carácter etnográfico e linguístico.

Entre 1884 e 1885, Capelo e Ivens estabelecem a tão desejada ligação por terra entre as costas de Angola e de Moçambique, explorando as vastas regiões do interior situadas entre estes dois territórios.
Nesta sala, é possível visualizar os itinerários seguidos por estes exploradores que estão assinalados num mapa da Sociedade de Geografia de Lisboa.

Para além deste documento, encontram-se expostos vários objectos que os acompanharam nas expedições: a espingarda de caça de Capelo, bem como o seu caderno de registo de observações e apontamentos de viagem, o fac-símile do caderno original de registo de itinerários de viagem realizados por Ivens e ainda o seu caderno de registo de observações e de cálculos. De pertença pessoal de Capelo, estão ainda presentes objectos como um sextante, um telescópio, uns binóculos, um anemómetro, um magnetómetro e uma faca de mato.

Resta dizer que, a escolha de dois oficiais de Marinha para a concretização desta importante missão, prende-se com o facto de se tratarem de territórios desconhecidos, não cartografados, nos quais era necessário avançar, recorrendo aos princípios da navegação marítima, tão familiares a estes exploradores.
---------------------------------------Características------------------------------------------
Limite de produção
100000 moedas em cuproníquel
9000 moedas em prata Proof
1500 moedas em ouro Proof

Características técnicas
Valor Facial: 2,50 Euro
Diâmetro: 28 mm
Metal: Ouro 999/1000 (15,55g);
Prata 925/1000 (12g);
Cuproníquel 75/25 (10g)
Embalagem - Estojo de madeira com certificado de garantia
Autor - Baiba Shime
Previsão
de Lançamento
20 | Abril | 2011

0 comentários:

Enviar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes Powered by Blogger | DSW printable coupons