quinta-feira, 29 de julho de 2010

2,5€ - Bicentenário Linhas de Torres


2,5€ Comemorativos ao Bicentenário das Linhas de Torres

A emissão desta moeda procura contribuir para uma maior visibilidade e divulgação do património cultural e arquitectónico e, simultaneamente, dar a merecida relevância a este importante facto histórico a nível nacional e europeu.
O anverso da moeda, apresenta na coroa circular a legenda “República Portuguesa 2010”, e na zona central o escudo nacional e o valor facial. No reverso, a área central é preenchida pela figura de um oficial e de uma peça de artilharia, sobrepostas a um diagrama das Linhas de Torres. Em redor da imagem é visível a inscrição “Bicentenário da Linhas de Torres”.

A Segunda Invasão Francesa terminou com a retirada do II CE do marechal Nicolas Jean de Dieu Soult para a Galiza. Wellesley tinha agora de se preocupar com o I CE do marechal Victor, que se encontrava na Estremadura Espanhola e deu então início à Campanha de Talavera. A ameaça sobre as linhas de comunicações com Lisboa e a falta de apoio logístico por parte das autoridades espanholas obrigaram Wellesley a retirar para Portugal apesar da vitória obtida na Batalha de Talavera.

Frustrados os planos para a conquista de Portugal em 1809, Napoleão Bonaparte nomeou o marechal Massena comandante do novo “Exército de Portugal”, constituído por três corpos de exército, cerca de 65.000 homens.

Wellesley, já visconde Wellington, manteve o seu exército afastado da luta contra os franceses após a Campanha de Talavera, situação provocada pela falta de colaboração por parte das autoridades e dos generais espanhóis durante aquela campanha. A defesa da Andaluzia ficava entregue unicamente aos exércitos espanhóis. Por outro lado, Wellesley compreendia a situação de uma forma diferente das autoridades espanholas e as suas intenções tinham em conta os seguintes factores:

  • Para a defesa da Península Ibérica, considerava Portugal mais importante do que a defesa da Andaluzia e privilegiava especialmente o porto de Lisboa que proporcionava, nesta fase da guerra, as comunicações entre o seu exército e o Reino Unido;
  • Considerava que tinha melhores condições de defesa em Portugal e, nesse sentido, tinha já começado a construção das Linhas de Torres Vedras;
  • Considerava que tinha a obrigação de privilegiar a defesa de Portugal porque, ao contrário de Espanha, aquele reino colocou-se inteiramente nas mãos dos aliados e colocou todos os recursos, inclusive o exército, à sua disposição. Ao contrário do exército espanhol, o exército português tinha com ele uma relação de subordinação (Wellesley tinha recebido em Portugal, por decreto de 29 de abril de 1809, a patente de Marechal General “dos Exércitos Portugueses para dirigir as suas Operações quando combinados com o de Sua Majestade”).

Por estas razões, Wellesley retirou as suas unidades para Portugal, onde se preparou para enfrentar mais uma invasão das tropas francesas.

--------------------------------------Características------------------------------------

Limite de Emissão
120.000 Moedas cuproníquel
5.000 Moedas prata Proof

Características Técnicas
Valor Facial : 2,5 Euro
Diâmetro : 28 mm
Peso : 10 g em cuproníquel
12 g em prata 925‰
Bordo :serrilhado
Embalagem
Proof – estojo de madeira com certificado de garantia
Autor
José João de Brito

Decreto Lei

----------------------------------

Bibliografia

Banco de Portugal
Plano Numismático 2010
www.dre.pt

0 comentários:

Enviar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes Powered by Blogger | DSW printable coupons